Reabilitação Física Pós-COVID

Fisio Pós Covid

 

Gostaríamos de vos apresentar, antes de tudo,  uma reportagem que passou no programa JORNAL DA NOITE no canal SIC em 19/02/21, para constatar, o como o vírus afecta violentamente a condição física e psicológica das pessoas. Depois da alta, ou seja, dando negativo ao teste e portanto, apto para continuar a sua vida normal, os sintomas e as dificuldades permanecem, o que leva à necessidade de pedir ajuda a profissionais especializados, para de que de alguma forma revertam a situação e restabeleçam as capacidades motoras e psicológicas. 

Fisio Covid 1.png
Fisio Covid
Fisio Covid

A Fisioterapia é uma ferramenta essencial no processo de reabilitação das pessoas com COVID-19 durante o internamento hospitalar e após a alta, no contexto domiciliário e no ambulatório.

 

Cerca de 5% das pessoas afectadas com COVID-19 necessitam de cuidados intensivos, onde o papel do fisioterapeuta é indiscutível, aproximadamente 80% das pessoas infectadas irão apresentar sintomas ligeiros a moderados, com potencial de resolução no domicílio, e só 15% poderão desenvolver uma patologia grave, com necessidade de hospitalização e suporte de oxigénio.

O quadro de sintomas característico dos pacientes é marcado por várias combinações de sinais: dificuldade respiratória, febre, tosse, corrimento nasal, dores de garganta, cansaço, dores generalizadas no corpo e articulações, dor de cabeça, diminuição abrupta da atividade física, descondicionamento físico, falta de concentração, etc..

Alguns pacientes podem manifestar estes sinais por longos períodos de tempo. Para estas pessoas, o acesso a cuidados de Fisioterapia é assim fundamental para acelerar o processo de recuperação, particularmente, nos casos de pessoas com várias patologias associadas, onde as limitações funcionais consequentes poderão ser graves e permanentes. 

Em contexto de recuperação pós-alta, as pessoas com COVID-19 podem apresentar baixa condição física, dificuldades respiratórias relacionadas com o exercício, atrofia muscular, dor e alterações posturais. Assim, a Fisioterapia é fundamental também nesta fase, com efeitos comprovados na recuperação da tolerância ao esforço, aumento da funcionalidade, melhoria da qualidade vida e auto-eficácia. 

Nos casos activos , pelo risco de propagação do vírus, o recurso à telefisioterapia, ou seja, a reabilitação de pessoas à distância usando tecnologias de vídeo e comunicação, deve ser sempre equacionado e, em caso de necessidade a intervenção presencial. Todas as normas de segurança recomendadas pelas autoridades de saúde deverão ser respeitadas. Apesar de, até à data, esta não ser uma modalidade muito divulgada, a telefisioterapia tem sido amplamente utilizada, tanto em contextos agudos como crónicos, e inclui avaliação, educação, monitorização e exercício físico e/ou treino funcional.  

A telefisioterapia é uma solução imediata de acesso aos cuidados de reabilitação para doentes activos ou para pacientes em situação pós covid que não se encontram ainda aptos para o ambulatório. 

FilipaQ.jpg
Filipa Proença

Fisioterapeuta 

Coordenadora do Serviço Fisioterapia.